Cineclube Pedagogias da Imagem – Mostra Ecofalante

Para quais experiências o cinema nos convoca? Tendo em vista que são diversas as produções audiovisuais capazes de nos afetar atualmente, também são múltiplos os modos pelos quais as imagens nos forçam a pensar. Por isso, com o objetivo de ampliar as linhas de atuação do cineclube e dar conta de diferentes linguagens, públicos, formatos, temas e debates que cada vez mais nos interpelam, o projeto Pedagogias da Imagem inaugurou, a partir de agosto/2018, uma nova modalidade de sessão que veio a se juntar às tradicionais sessões mensais. A Matinê Pedagogias da Imagem almeja ocupar horários alternativos com sessões de filmes e debates, ofertando a possibilidade de participação para escolas e turmas de ensino médio, profissionais da educação básica e superior, pessoas ligadas ao campo do audiovisual em geral, além do público espontâneo.

Deste modo, além de um estreitamento de possíveis parcerias com a educação básica, a Matinê Pedagogias da Imagem busca intensificar a dinâmica cultural do campus da Praia Vermelha, não apenas restrito a atividades acadêmicas, mas de portas abertas à sociedade, estimulando a circulação de diferentes públicos em suas atividades.

Como parte das comemorações dos 50 anos da FE, esta inauguração foi marcada, ao longo do mês de agosto, pela parceria com a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental – maior mostra de cinema socioambiental da América do Sul -, que já passou por São Paulo e em agosto desembarcou no Rio, Niterói e Brasília. O cineclube Pedagogias da Imagem foi o responsável por acolher a itinerância UFRJ da mostra. Tivemos três sessões semanais, às terças-feiras pela manhã, com a exibição de um curta-metragem e um longa-metragem, seguida de conversa com algum convidado especial. Ao todos, foram exibidos 6 filmes.

A programação incluiu filmes que não apenas provocam o pensamento sobre o ambiente, mas instauram por si mesmos ambiências e modos imagéticos de pensar/habitar o mundo. As conversas após a exibição procuraram distender os temas e favorecer a circulação de ideias em contato com o público.

 

7 de agosto – Às margens (Coréia, 2017), de Kim Hyung-Cheol / Cidadã Jane: a luta pela cidade (Citizen Jane: battle for the city – EUA, 2016), de Matt Tyrnauer

Convidada: Tamara Egler – IPPUR/UFRJ

 

14 de agosto – Corp (Argentina, 2016), de Pedro Polledri / Dedo na ferida (Brasil, 2017), de Sílvio Tendler

Convidado: Sílvio Tendler – diretor do filme ‘Dedo na ferida’

 

21 de agostoImigrantes digitais (Suíça, 2016), de Norbert Kottmann & Dennis Stauffer / Sociedade do almoço grátis (Alemanha, 2017), de Christian Tod

Convidado: José Ricardo Ramalho – IFCS/UFRJ

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *